O Mérito a quem o merece…

A Liga de Amigos de Santo Varão congratula-se pela atribuição da Medalha de Mérito Cultural, pela Câmara Municipal de Montemor-o- Velho, sob proposta da Junta de Freguesia de Santo Varão, ao santovaronense Laurentino Oliveira.

Homem ligado ao associativismo desde a sua juventude, tem vindo a desenvolver um valioso trabalho, ao longo de toda a sua vida, com entusiasmo, dedicação e muito sacrifício, em todas as associações locais. Sempre pronto a colaborar, não sabe dizer Não!

É, pois, de inteira justiça, este galardão que, em boa hora, a Câmara Municipal lhe atribuiu, dia 8 de Setembro, dia do Município, em sessão solene.

Ao Presidente da Assembleia Geral da Liga de Amigos de Santo Varão, o nosso abraço! Parabéns.

XXI Festival Nacional de Folclore/ Santo Varão

A identidade de um povo firma-se na memória colectiva que, passando de geração em geração, acaba por consolidar essa mesma marca identitária. Quando isso não acontece, deixa-se de ter referências e o sentimento de pertença a uma comunidade vai-se diluindo com o tempo até desaparecer por completo. É todo um património que se perde, muitas vezes de forma irreparável.

Daí, a importância de preservar as referidas marcas, quer conservando-as, quer “desenterrando-as” no caso da sua perda iminente, através de um trabalho aturado de pesquisa de fontes escritas ou orais ainda disponíveis.

E tem sido esse o trabalho que o Rancho Folclórico do Centro Beira Mondego vem desenvolvendo ao longo da sua já longa existência, possibilitando assim manter vivas as tradições, usos e costumes da comunidade santovaronense, consolidando assim a identidade local e por inerência a de todo o Baixo Mondego, onde estamos inseridos.

Por tudo isto, vale a pena assistir, no próximo sábado, dia 6 de Julho, a mais um festival etnográfico e nacional, que irá decorrer no adro da Igreja Matriz de Santo Varão.

Santo Varão/Arraial Solidário de S. Pedro

A origem das festas em honra dos santos populares remonta aos primórdios da Humanidade e ao paganismo quando se celebrava o solstício de verão, altura em que o sol atingia o seu ponto mais alto do ano, sendo visto também como a celebração da fertilidade da terra.

A igreja católica, constatando a força dessas festas junto do povo, procurou com sucesso  – nomeadamente em Portugal – ligá-las aos seus mais importantes santos, o que desde logo foi bem aceite em populações predominantemente católicas.

Durante estas festas têm lugar de destaque as marchas populares, associadas à festa das Maias e, que por serem consideradas pagãs, foram proibidas por D. João I, ainda no século XIV, mas sem um êxito.

Entretanto, durante as invasões napoleónicas, implantou-se o costume de dançar ao som das marchas militares, tal como faziam os franceses, marchando alegremente com tochas acesas na mão. Às iluminárias foram associados os balões de papel e o fogo-de-artifício, costumes importados do contacto com a China e que eram já comuns nas feiras e arraiais de então.

Santo Varão não foge à regra e este ano, na noite de 29 de Junho, haverá lugar a um arraial de S. Pedro, no adro da igreja, com uma marcha das mulheres e outra das crianças, cujo sucesso estará garantido à partida.

Convidamos, pois, toda a população e amigos a estarem presentes, até porque os petiscos são convidativos, a começar pela sardinha assada…

Ementa:

1ºFestival da Lampreia e do Galo, no CBM

Após o êxito que foi o Festival da Lampreia de Montemor-o-Velho, o Centro Beira Mondego aposta na modalidade, criando, na sua sede, em Santo Varão, o I Festival da Lampreia e do Galo, nos próximos dias 6 e 7 de Abril.
Aqui fica, pois, o convite para se deslocarem a esta simpática aldeia, no coração do Baixo Mondego, onde podem saborear estas iguarias. Para os menos apreciadores, haverá alternativas que certamente serão do agrado geral. Apareçam!

Festival do Arroz e da Lampreia de Montemor-o-Velho

Como já vem sendo habitual, irá decorrer entre 15 e 24 de Março mais um festival do Arroz e da Lampreia do concelho de Montemor-o-Velho.
E também à semelhança dos demais anos, o Centro Beira Mondego irá estar presente neste certame, centrado  nos produtos endógenos desta região, com enfoque no arroz carolino do Baixo Mondego e na lampreia. Com uma ementa variada e já afamada, esta associação convida os amantes e apreciadores destes acepipes a visitarem e sua tasquinha, cujas ementas se passam a divulgar.

lampreia 2019

 

Centro Beira Mondego em movimento…

Uma vez mais, o grupo de teatro residente em Santo Varão, ADN de Palco, atraíu a esta localidade pequenos e graúdos com mais duas sessões de teatro musical.

Esta atividade cultural, que está a dar nas vistas, foi alvo de notícia por parte do Município de Montemor-o-Velho, pelo que aqui deixamos o testemunho.

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas em pé

Município de Montemor o Velho
No dia 17 de fevereiro, o teatro musical tomou conta do Centro Beira Mondego (CBM), em Santo Varão. Pela mão da companhia ADN de Palco, as sessões d’O Principezinho e de Pluft – o Fantasminha, encantaram pequenos e graúdos.
Teresa Roxo e Filipe Lima, fundadores de uma das mais recentes companhias de teatro da região – a ADN de Palco, estiveram à conversa com a adjunta do Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, tendo aproveitado o momento para recordar alguns dos projetos já realizados e para desvendar as próximas iniciativas.
“Atualmente a nossa residência, fruto de uma parceria com o CBM, é aqui em Santo Varão. Como temos a intenção de preparar um espetáculo que integre língua gestual portuguesa, vamos realizar uma aula iniciação no dia 2 de março, às 11h, no CBM. Em março, vamos estar também no Festival do Arroz e da Lampreia para desvendar um pouco do nosso próximo espetáculo musical, a Menina do Mar”, esclareceu Teresa Roxo.
Na ocasião, Delmina Leitão, ao desejar “os maiores sucessos” os jovens atores e aos seus projetos, saudou também “o dinamismo do CBM e a sua capacidade de continuar a ser um exemplo de promoção da cultura e da arte”.
Durante a tarde e com encenação de Diogo Carvalho, Teresa Roxo, Filipe Lima, Joana Biscaia, Catarina Abreu e Dinis Ludgero conduziram o público, com muita música e animação, numa tocante aventura cheia de peripécias, emoção e humor.”

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e interiores
A imagem pode conter: 1 pessoa
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas em pé e texto

Festival das Sopas do RFCBM : Mais um êxito

O céu invernoso, nublado e a ameaçar chuva, não dissuadiu alguns santovaronenses e muitos forasteiros de se deslocarem ao Centro Beira Mondego para saborearem uma quantidade apreciável e apelativa das tradicionais sopas da região, complementadas por um vasto leque de petiscos e doces regionais.

Com um salão a abarrotar de gente, o evento decorreu num clima de ameno convívio e confraternização, como vem sendo habitual na nossa aldeia.

Foi mais um Festival das Sopas; o VII Festival.

Cumpriu-se a tradição.

 

Rancho Folclórico do CBM – VII Festival das Sopas

Pela sétima vez, em Santo Varão, o Rancho Folclórico do Centro Beira Mondego vai realizar, no próximo dia 10 de Fevereiro, pelas 13 horas, o Festival das Sopas.

Como é habitual, os apreciadores poderão degustar uma variedade de sopas tradicionais da nossa terra e que vão da célebre sopa do lavrador até ao mais sofisticado caldo verde.

Está, pois, de parabéns o Rancho Folclórico por esta iniciativa, através da qual continua a contribuir para a preservação da cultura popular/local, na sua vertente gastronómica.

Santo Varão/Rescaldo do almoço solidário

No passado dia 27 de Janeiro, fez-se história na paróquia de Santo Varão.

O almoço solidário, amplamente divulgado, com o objetivo de angariar fundos para restauro da talha dourada do altar-mor da Igreja Matriz de Santo Varão, excedeu toda e qualquer expectativa. Foi num salão completamente lotado com 200 comensais que responderam ao apelo lançado pelo Conselho Económico da Igreja em colaboração com a Liga de Amigos, onde decorreu este almoço, num clima de autêntica solidariedade e serenidade. Conviveu-se, trocaram-se impressões com amigos que  quiseram comparecer, mesmo vivendo fora, mas que se dizem assumir como santovaronenses genuínos

Seguiu-se um momento musical com a colaboração da jovem santovaronense, Inês Rodrigues, terminando a tarde com um leilão, à moda antiga, de produtos oferecidos pela comunidade e algumas firmas e que reverteu igualmente para o mesmo fim.

Outras atividades se seguirão…