Feira S. Martinho

Foi com algumas restrições que se realizou nos dias 13 e 14 de Novembro, a tradicional feira anual de S. Martinho.

Desta vez, o cenário escolhido foi o pátio do CBM para a venda de produtos, com todas as regras sanitárias em vigor. Apesar da afluência ter sido menor que em anos anteriores, mesmo assim a direção da Liga de Amigos congratula-se com a adesão de grande parte da população.

O mesmo aconteceu com o almoço/convívio, onde as regras foram cumpridas com o devido distanciamento de mesas e pessoas.

Uma vez mais contámos com a presença do senhor presidente da  JUNTA DE FREGUESIA DE SANTO VARÃO, verificando-se a ausência de qualquer representação camarária.

Um agradecimento a todas as pessoas que se mostraram disponíveis para ajudar nas tarefas necessárias e especialmente ao grupo ADN de Palco que abrilhantou o almoço.

Cumpriu-se a tradição!

Feira de S. Martinho

Após o “ciclone” que varreu todo o mundo e nos fez entrar em letargia durante quase dois anos, acalmada a “tempestade”, é tempo de retomarmos as nossas atividades, ainda que com moderação e alguns cuidados,

Como tal, resolveu a Liga de Amigos , regressar ao convívio de todos os Santovaronenses e amigos com a feira de S. Martinho, nos dias 13 e 14 de Novembro..

Nela poderão continuar a encontrar os produtos agrícolas da região, bem como os doces, licores, jeropiga e aguardente desta região mondeguina, a par de outros produtos de charcutaria e frutos secos da época..

Prevendo que o S.Pedro não esteja do nosso lado, a feira centrar-se-à no pátio do CBM e o almoço/convívio no seu salão, estando a animação a cargo do grupo de teatro ADN do Palco.

Apelamos a todos quantos possam colaborar que o não deixem de fazer, pois só assim conseguiremos manter viva esta tradição que faz parte da nossa identidade.

 

No tempo das “pasteleiras”

Preservar e reviver usos, costumes e tradições locais são um dos objetivos que presidiram à criação da Liga de Amigos de Santo Varão. Assim, ao longo de cerca de 20 anos de longevidade muitas têm sido as atividades realizadas com esta finalidade.

Uma delas foi a recriação do uso de um transporte muito usado pela população nas suas deslocações aos arredores ou até mesmo à sede de concelho – Montemor-o-Velho, as denominadas “pasteleiras”, símbolo de uma época e que as gerações recentes na sua maioria desconhecem.

 O seu nome  deriva da expressão “andar a pastelar”, ou seja, andar devagar, andar a fazer tempo. São bicicletas pesadas, robustas, confortáveis e que utilizam uma transmissão de três velocidades.

A História de um país, de uma região, de uma qualquer localidade de maior ou menor dimensão, faz-se de marcas identitárias, materiais ou imateriais, que foram sendo criadas por personagens que aí nasceram, viveram e marcaram a sua presença. Daí que sem essa identidade modeladora não pode haver História.

São, pois, algumas dessas marcas registadoras das tradições de Santo Varão que aqui recordamos.

Feira S. Martinho, mais um sucesso

 Apesar do S. Pedro não ter ajudado à festa, foi num ambiente acolhedor e familiar que decorreu a tradicional feira de S. Martinho. À semelhança dos anos anteriores, apenas com a mudança de cenário, os santovaronenses e amigos honraram-nos com a sua presença, assim como uma representação da Junta de Freguesia e Câmara Municipal de Montemor-o-Velho.

Agradecemos o apoio do associativismo local e em particular o nosso reconhecimento ao Centro Beira Mondego pela prontidão com que respondeu ao nosso apelo para a cedência das suas instalações.
À população e amigos que nos apoiaram com os seus donativos e compras, o nosso agradecimento.

Feira de S. Martinho 2019

Mês de Novembro, castanhas, vinho e S. Martinho!

É neste cenário que irá decorrer a tradicional feira de S. Martinho, nos dias 9 e 10 de Novembro próximo, em Santo Varão, organizada pela Liga de Amigos de Santo Varão.
Nela poderão os visitantes encontrar todo o género de artigos locais e regionais, incluindo os doces tradicionais, castanhas, nozes, jeropiga caseira e licores.
Os stands, a cargo das associações locais, também merecerão uma visita.
Também a Comissão da Festa de N. S. Amparo marcará presença com a tradicional tasquinha de comes e bebes, com uma ementa vasta, diversificada e apelativa.
O almoço/convívio de domingo, dia 10, contará com a presença dos santovaronenses e amigos que habitualmente nos visitam e que certamente não ficarão dececionados com o repasto a cargo dos já conhecidos e meritórios cozinheiros locais.
E, se mais razões não houvesse, certamente que estas não deixam de ser apelativas.
Assim o S. Martinho se entenda com o S. Pedro….

V Mostra Etnográfica Fátima Verão

 No próximo dia 27 de Outubro, pelas 15h30m, no Centro Beira Mondego, em Santo Varão, terá lugar mais um evento organizado pelo rancho folclórico local – V Mostra Etnográfica Fátima Verão.

Guardião e divulgador do património material e imaterial de Santo Varão, este grupo folclórico e etnográfico tem-se vindo a impor no universo nacional do folclore, contando já com atuações além fronteiras.

Será, pois, uma tarde enriquecedora para todos os amantes desta modalidade, pelo que se recomenda uma deslocação até cá, com a certeza de que não se arrependerão.

Ao RFCBM votos de uma boa exibição por parte deste Portal.

1ºFestival da Lampreia e do Galo, no CBM

Após o êxito que foi o Festival da Lampreia de Montemor-o-Velho, o Centro Beira Mondego aposta na modalidade, criando, na sua sede, em Santo Varão, o I Festival da Lampreia e do Galo, nos próximos dias 6 e 7 de Abril.
Aqui fica, pois, o convite para se deslocarem a esta simpática aldeia, no coração do Baixo Mondego, onde podem saborear estas iguarias. Para os menos apreciadores, haverá alternativas que certamente serão do agrado geral. Apareçam!

Centro Beira Mondego em movimento…

Uma vez mais, o grupo de teatro residente em Santo Varão, ADN de Palco, atraíu a esta localidade pequenos e graúdos com mais duas sessões de teatro musical.

Esta atividade cultural, que está a dar nas vistas, foi alvo de notícia por parte do Município de Montemor-o-Velho, pelo que aqui deixamos o testemunho.

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas em pé

Município de Montemor o Velho
No dia 17 de fevereiro, o teatro musical tomou conta do Centro Beira Mondego (CBM), em Santo Varão. Pela mão da companhia ADN de Palco, as sessões d’O Principezinho e de Pluft – o Fantasminha, encantaram pequenos e graúdos.
Teresa Roxo e Filipe Lima, fundadores de uma das mais recentes companhias de teatro da região – a ADN de Palco, estiveram à conversa com a adjunta do Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, tendo aproveitado o momento para recordar alguns dos projetos já realizados e para desvendar as próximas iniciativas.
“Atualmente a nossa residência, fruto de uma parceria com o CBM, é aqui em Santo Varão. Como temos a intenção de preparar um espetáculo que integre língua gestual portuguesa, vamos realizar uma aula iniciação no dia 2 de março, às 11h, no CBM. Em março, vamos estar também no Festival do Arroz e da Lampreia para desvendar um pouco do nosso próximo espetáculo musical, a Menina do Mar”, esclareceu Teresa Roxo.
Na ocasião, Delmina Leitão, ao desejar “os maiores sucessos” os jovens atores e aos seus projetos, saudou também “o dinamismo do CBM e a sua capacidade de continuar a ser um exemplo de promoção da cultura e da arte”.
Durante a tarde e com encenação de Diogo Carvalho, Teresa Roxo, Filipe Lima, Joana Biscaia, Catarina Abreu e Dinis Ludgero conduziram o público, com muita música e animação, numa tocante aventura cheia de peripécias, emoção e humor.”

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé e interiores
A imagem pode conter: 1 pessoa
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas em pé e texto

Festival das Sopas do RFCBM : Mais um êxito

O céu invernoso, nublado e a ameaçar chuva, não dissuadiu alguns santovaronenses e muitos forasteiros de se deslocarem ao Centro Beira Mondego para saborearem uma quantidade apreciável e apelativa das tradicionais sopas da região, complementadas por um vasto leque de petiscos e doces regionais.

Com um salão a abarrotar de gente, o evento decorreu num clima de ameno convívio e confraternização, como vem sendo habitual na nossa aldeia.

Foi mais um Festival das Sopas; o VII Festival.

Cumpriu-se a tradição.