Evocação

No recolhimento do nosso lar e em espírito, celebremos a festa da Senhora do Amparo, recordando a origem deste culto mariano.

Documentos coevos assinalam ser a capela de Nossa Senhora do Amparo, situada no então Casal das Machadas, desta freguesia, de época bastante recuada. A data da sua construção não é precisa, mas com toda a certeza é anterior a 1619. Nesse mesmo ano foi sepultada “Maria, filha de António Fernandes dentro da hermida de N.S.ª do Amparo, junto com sua may “, o que nos leva a corroborar essa mesma afirmação. O registo de óbito do citado António Fernandes, de 26/09/1623, di-Io morador no Casal da Machada e sepultado “dentro da hermida de Nossa Sª do mesmo cazal que elle mandou fazer“, pelo que não restam dúvidas ter sido ele o seu fundador. A tradição oral vai mais longe ao associá-la ao cumprimento de uma promessa de alguém que, em pleno oceano, confrontado com o perigo de um naufrágio, ter prometido erigir uma capelinha, sob a invocação de N. S. do Amparo, caso se salvasse de semelhante tormenta.  A âncora, que a Virgem ostenta numa mão que significado terá? Terá alguma relação com esta “lenda”?
Mais tarde, a necessitar já de reparações, serão os herdeiros deste que a isso são obrigados visto “q. herão senhores das d.propriedades” onde aquela fora construída.
Posteriormente, face ao estado de ruína em que se encontrava, Francisco Coelho da Cunha, residente na quinta do matoutinho e possivelmente na pertença já desta área, manda-a reformar de ” ornamentos e altar por estar vertendo agoa e cheia de raizes q. se achavão desfazendo… ”
Assim remodelada, viria uma vez mais a entrar em ruína passados alguns anos.
Em 8 de Junho de 1754 dá entrada no Cartório da Câmara Eclesiástica uma nova petição, apresentada pelo Desembargador Manuel Ferreira de Oliveira, “provedor da Camara de Leyria com casa e fazendas no couto de S. Verão“, para mandar fazê-la ” a fundamentis” pelo ” risco que lhe parecer mais decente. ”
A razão invocada é, não só a grande devoção que tinha à dita Senhora, como também o facto de ela estar situada em duas propriedades e olivais que lhe pertenciam à data e que estavam obrigados aos reparos daquela.

E assim permaneceria na posse dos seus herdeiros que, já no século passado, a doariam à Igreja Matriz. De referir que a actual imagem veio substituir a primitiva, de pequenas dimensões, ainda que muito mais valiosa, por decisão da então proprietária.

Nossa Senhora do Amparo 2019

Mais um ano, mais uma Páscoa e, como dita a tradição, mais uma festa em honra de Nossa Senhora do Amparo.
No domingo, 21 de Abril, dia de início dos festejos, destacamos a procissão das velas e o Concerto de Páscoa na Igreja Matriz. No dia 22, a Missa solene seguida de procissão e o concerto no Centro Beira Mondego. No dia 23, a Missa campal, as merendas no pinhal e a atuação de um grupo de concertinas. No dia 24, um grandioso baile e, para terminar os festejos, no dia 25 de abril, um sempre animado jogo de futebol “Solteiros contra Casados”.

Cartaz para imprimir.

Coimbra tem mais encanto…

Foi com este ícone da canção coimbrã, A Balada do Sexto Ano Médico, que terminou a noite de fados que teve lugar no largo da Senhora da Tocha, em Santo Varão, promovida pela Comissão de Festas da Senhora do Amparo.

Serão bastante agradável, com a assistência a colaborar com os fadistas que  nos mimaram com um reportório muito vasto e diversificado. A completar a noite, um excelente trio de música ligeira, sob a direção do maestro Sílvio Rajado, que acompanhou a jovem santovaronense, Inês Rodrigues,

A Comissão de festas está, pois, de parabéns.

Nossa Senhora do Amparo 2015

datas-NSA20105Este ano, os festejos em honra de Nossa Senhora do Amparo vão decorrer entre os dias 2 e 7 de Abril.
As festas começam no dia 2 de Abril com a abertura da iluminação da Igreja matriz e das ruas de Santo Varão e termina no dia 7 de Abril com a missa campal junto à capela de Nossa Senhora do Amparo seguida das tradicionais merendas e convívio no pinhal.

Consulte o CARTAZ das festas para conhecer a excelente programação que a Comissão de festas quis oferecer a toda a comunidade.

NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE PARA VISITAR SANTO VARÃO!

Fados e Touros

vacada2014A Comissão de Festas Nossa Senhora do Amparo 2015 organiza no Campo de Futebol 3 de Maio, em Santo Varão, uma Grande Noite de Fados (dia 14 às 20:00 horas) e uma Monumental Vacada (dia 15 às 16:00 horas).
Nota: Clique no cartaz para conhecer os detalhes dos serviços de mesa e bar.

Acompanhe estes eventos na página Facebook da Comissão de Festas:
https://www.facebook.com/nsa2015?fref=photo

Fogueiras de S. Pedro

fogueiras2015A Comissão de Festas de Nossa Senhora do Amparo 2015 está a organizar o evento “Fogueiras de S. Pedro“, que se realizará no dia 28 de junho de 2014, sábado, no Campo de Futebol 3 de maio em Santo Varão.

Veja o programa completo clicando na imagem.

IMPORTANTE: Este sábado, dia 21 de junho, a Comissão de Festas efetuará a limpeza do campo de futebol e pede a colaboração de voluntários para ajudar nessa tarefa.

Passeando pela História de Santo Varão XVI

Capela de N. Sra. do Amparo

Capela de N. Sra. do Amparo

Não foi contudo pacífica a condição de padroado da capela de N. Senhora do Amparo a que alude a escritura de fábrica com hipoteca de 28/06/1754.
Em 1778, teve início um litígio entre o referido desembargador Manuel Ferreira de Oliveira e o vigário de Santo Varão, padre Manuel Ferreira do Espírito Santo, litígio este revelador de pouco amistosas relações que se estabeleceram entre ambos. Continuar a ler

Passeando pela História de Santo Varão XV

Capela de N. Sra. do Amparo

Capela de N. Sra. do Amparo

Em época de grande religiosidade, em que abundavam as festas de igreja e a veneração particular aos santos, não raro era ver-se surgir, disseminadas pelos diversos lugares, capelas particulares cuja origem reside não só na grande devoção por determinadas entidades sacras, mas também no desejo de ostentação por parte de determinados núcleos familiares, verdadeiros potentados locais, que assim viam aumentado o grau de respeitabilidade por parte das populações. O culto mariano, que sempre atraiu os portugueses, recebeu novas consagrações nos séculos XIV e XV, sob a influência das novas ordens religiosas então surgidas, pelo que é vulgar encontrar-se, por todo o país, locais de culto, ligados à Virgem, sob qualquer uma das invocações. Até final do século XV apontam-se mais de mil consagrações à Virgem Maria, quer nas igrejas, quer nas capelas ou ermidas do território português. Continuar a ler